O parto está por um fio... e ainda venho falar do segundo trimestre de gravidez. O tempo vai passando, mas não queria deixar este marco no blog... Sei que o blog não tem sido atualizado como era hábito e sei que o blog acabou por virar um pouco maternidade, mas a verdade é que esta é a fase pela qual estou a passar e sinto que são sempre coisas úteis, que poderão servir a muitas mulheres. 


Como puderam ver (aqui) no diário do primeiro trimestre, temos feito esta sequência fotográfica todas as semanas, sempre com a mesma roupa, mantém-se mais ou menos a mesma posição, com a diferença do tamanho da barriga. É algo que exige um pouquinho de nós a cada semana, mas que no final será bonito de ver a evolução. Neste momento, por exemplo, já me é estranho ver-me nas fotos com uma barriga tão pequena. Acho que já não me lembro de mim sem barriga!! hahah!!

Ora bem, o segundo trimestre.... De forma geral foi muito bom, apesar de ter sofrido durante mais de um mês de uma dor ciática insuportável, que em determinados períodos nem conseguia andar. Mas sem saber muito bem como, passou de um momento para ou outro, não sei se foram uns passos mais apressados que tive de dar, e que desbloquearam algo. Não tomei nada, mas havia dias em que a vontade era muita...


Viajei três vezes de avião, levei a minha vida normalmente, como sempre tentei fazer ao longo da gravidez. Claro que há sempre um pouco mais de cansaço, mas o sono que tive no primeiro trimestre desapareceu. Voltei a dormir normalmente e bem. Não tive apetites, nem desejos. Engordei por volta de 7 kilos, o que é muito bom!!

Tomei a vacina para proteger o bebé da tosse convulsa, aqui no Reino Unido faz parte do plano nacional de saúde e extremamente recomendado.

Foi às 20 semanas que descobrimos o sexo do nosso bebé (aqui). Foi também por volta da décima sete semana, que o comecei a sentir verdadeiramente. Antes era muito duvidoso, falam numa sensação de borboleta... 

Nesse trimestre já começa a sair do peito o primeiro liquido transparente, meio viscoso, mas é algo esporádico ainda. 
A barriga já se começa a notar e a crescer bem. No fim do segundo trimestre o bebé já começa a interagir aos nossos estímulos. 
Continuei o meu suporte vitamínico, extremamente importante para o desenvolvimento do bebé. Mantive a minha rotina diária de hidratação na barriga, peito, pernas e ancas.

Além da dor ciática, também recordo-me de dores nas ancas, nomeadamente quando estava na cama e de cãibras horríveis nas pernas. As idas à casa de banho são cada vez mais frequentes.... De facto é todo um corpo a transforma-se a aninhar-se para um ser que estamos a criar... 

Foi mais ou menos a partir da vigésima semana que comecei a amar o meu estado de grávida!! 

O meu segundo trimestre de gravidez

June 28, 2017



O parto está por um fio... e ainda venho falar do segundo trimestre de gravidez. O tempo vai passando, mas não queria deixar este marco no blog... Sei que o blog não tem sido atualizado como era hábito e sei que o blog acabou por virar um pouco maternidade, mas a verdade é que esta é a fase pela qual estou a passar e sinto que são sempre coisas úteis, que poderão servir a muitas mulheres. 


Como puderam ver (aqui) no diário do primeiro trimestre, temos feito esta sequência fotográfica todas as semanas, sempre com a mesma roupa, mantém-se mais ou menos a mesma posição, com a diferença do tamanho da barriga. É algo que exige um pouquinho de nós a cada semana, mas que no final será bonito de ver a evolução. Neste momento, por exemplo, já me é estranho ver-me nas fotos com uma barriga tão pequena. Acho que já não me lembro de mim sem barriga!! hahah!!

Ora bem, o segundo trimestre.... De forma geral foi muito bom, apesar de ter sofrido durante mais de um mês de uma dor ciática insuportável, que em determinados períodos nem conseguia andar. Mas sem saber muito bem como, passou de um momento para ou outro, não sei se foram uns passos mais apressados que tive de dar, e que desbloquearam algo. Não tomei nada, mas havia dias em que a vontade era muita...


Viajei três vezes de avião, levei a minha vida normalmente, como sempre tentei fazer ao longo da gravidez. Claro que há sempre um pouco mais de cansaço, mas o sono que tive no primeiro trimestre desapareceu. Voltei a dormir normalmente e bem. Não tive apetites, nem desejos. Engordei por volta de 7 kilos, o que é muito bom!!

Tomei a vacina para proteger o bebé da tosse convulsa, aqui no Reino Unido faz parte do plano nacional de saúde e extremamente recomendado.

Foi às 20 semanas que descobrimos o sexo do nosso bebé (aqui). Foi também por volta da décima sete semana, que o comecei a sentir verdadeiramente. Antes era muito duvidoso, falam numa sensação de borboleta... 

Nesse trimestre já começa a sair do peito o primeiro liquido transparente, meio viscoso, mas é algo esporádico ainda. 
A barriga já se começa a notar e a crescer bem. No fim do segundo trimestre o bebé já começa a interagir aos nossos estímulos. 
Continuei o meu suporte vitamínico, extremamente importante para o desenvolvimento do bebé. Mantive a minha rotina diária de hidratação na barriga, peito, pernas e ancas.

Além da dor ciática, também recordo-me de dores nas ancas, nomeadamente quando estava na cama e de cãibras horríveis nas pernas. As idas à casa de banho são cada vez mais frequentes.... De facto é todo um corpo a transforma-se a aninhar-se para um ser que estamos a criar... 

Foi mais ou menos a partir da vigésima semana que comecei a amar o meu estado de grávida!! 




A data prevista do meu bebé é a 13 de julho, claro que a partir de agora tudo pode acontecer, a qualquer momento pode sair ou até pode optar por uns dias depois. Venha ele quando quiser... Não vou pressionar, nem estimular o parto. Na minha perspetiva os bebés devem nascer quando estão prontos, a menos que haja uma contra-indicação médica. 
Nesta fase, sinto tão bem os seus pontapés, quase dá para agarrar o seu pezinho ou a sua mãozita, de tão saliente que fica... Isso sim, é algo que emociona mesmo. É pode-lo sentir. Ele está com muita força, há momentos que até fico meio dorida, hehe!! Da semana para cá também sinto muito mais fome, tipo quase de hora a hora, oh god!! Quando não tenho que acordar às 5 da manhã para comer algo... Ele precisa de engordar e acho que vou pelo mesmo caminho.



Look:
Jeans grávida Asos
Top Zara
Mala Furla
Sapatilhas Gazelle Adidas
Casaco Cortefiel 

Falta 1 mês!! #counting days

June 13, 2017





A data prevista do meu bebé é a 13 de julho, claro que a partir de agora tudo pode acontecer, a qualquer momento pode sair ou até pode optar por uns dias depois. Venha ele quando quiser... Não vou pressionar, nem estimular o parto. Na minha perspetiva os bebés devem nascer quando estão prontos, a menos que haja uma contra-indicação médica. 
Nesta fase, sinto tão bem os seus pontapés, quase dá para agarrar o seu pezinho ou a sua mãozita, de tão saliente que fica... Isso sim, é algo que emociona mesmo. É pode-lo sentir. Ele está com muita força, há momentos que até fico meio dorida, hehe!! Da semana para cá também sinto muito mais fome, tipo quase de hora a hora, oh god!! Quando não tenho que acordar às 5 da manhã para comer algo... Ele precisa de engordar e acho que vou pelo mesmo caminho.



Look:
Jeans grávida Asos
Top Zara
Mala Furla
Sapatilhas Gazelle Adidas
Casaco Cortefiel 



Estou na reta final da gravidez, como tal sinto-me perfeitamente à vontade para falar deste assunto... 

Já há algumas mulheres que assumem perante toda a gente e, sem problema algum, que não gostam de estar grávidas. Algo que ainda choca imenso, porque passamos uma vida a ouvir que a gravidez é algo de maravilhoso, um estado de graça e que a mulher nasceu para isto. 

Mas sejamos sinceros e realistas... Gosto de falar das coisas como elas são e a gravidez não tem tudo de cor-de-rosa. 

Eu não desgosto de estar grávida, mas tive de aprender a viver este momento. Para mães de primeira viagem é algo que nos muda imenso, psicológico e fisicamente. 
Não acordamos assim a saber que estamos grávidas e convictas da ideia... É algo que vamos assimilando. No início, confesso que me esquecia que estava grávida, só quando tinha mais fome do que o normal é que me lembrava que estava a crescer um ser dentro de mim.

Há mulheres até que sofrem muito com uma gravidez, desde dos enjoos insuportáveis (não foi o meu caso), às dores.
É preciso resistência psicológica, sim! É preciso ter um bom suporte ao lado (companheiro), sim! É preciso aprender (muito), sim!

A fase em que vivi o maior stress na minha gravidez foi, sem dúvida, no primeiro trimestre. Aquele tal onde não queremos contar a ninguém ou quase, temos medo de perder o bebé, não sentimos, não o vimos, começamos a ler mil e uma coisas sobre o assunto que até assusta... Enfim, para mim foi stressante e assumo. 

Tudo começou a ganhar mais sentido à partir do momento em que o senti... Lá ia várias vezes à internet procurar informações sobre o momento em que o podia sentir? Como? Quando? ...

Além disso, é impossível ficar passiva o tempo todo. Uma mãe fica ansiosa, questiona-se, pensa tudo e mais alguma coisa. Se é saudável? Se está tudo bem? A questão do parto? A vida depois da gravidez? A mudança das rotinas? Se seremos capazes? Se estamos a fazer algo de errado? Se o que comemos fará mal?... Enfim, uma série de questões que acabam por stressar. Mas à medida que o tempo vai passando, vamos confiando mais no nosso instinto maternal (que existe mesmo)... 

Finalmente, a mudança do nosso corpo, ter um barrigão enorme, que nos impede de fazer tantas coisas. O leite que já começa a sair do peito, embora em pequena quantidade. Até uma simples depilação às virilhas, que não conseguimos fazer porque não vemos! ;) Nem sempre uma mulher grávida se sente sexy, talvez bonita, mas não aquela mulher sexy e fatal. Mas mais uma vez, vamos aprendendo a lidar com isso e a nossa forma de estar e de descontrair, irá permitir levar a gravidez na maior tranquilidade. 

Clique nas seguintes imagens e tenha mais informações sobre estes livros para a gravidez:

O stress na gravidez

June 6, 2017



Estou na reta final da gravidez, como tal sinto-me perfeitamente à vontade para falar deste assunto... 

Já há algumas mulheres que assumem perante toda a gente e, sem problema algum, que não gostam de estar grávidas. Algo que ainda choca imenso, porque passamos uma vida a ouvir que a gravidez é algo de maravilhoso, um estado de graça e que a mulher nasceu para isto. 

Mas sejamos sinceros e realistas... Gosto de falar das coisas como elas são e a gravidez não tem tudo de cor-de-rosa. 

Eu não desgosto de estar grávida, mas tive de aprender a viver este momento. Para mães de primeira viagem é algo que nos muda imenso, psicológico e fisicamente. 
Não acordamos assim a saber que estamos grávidas e convictas da ideia... É algo que vamos assimilando. No início, confesso que me esquecia que estava grávida, só quando tinha mais fome do que o normal é que me lembrava que estava a crescer um ser dentro de mim.

Há mulheres até que sofrem muito com uma gravidez, desde dos enjoos insuportáveis (não foi o meu caso), às dores.
É preciso resistência psicológica, sim! É preciso ter um bom suporte ao lado (companheiro), sim! É preciso aprender (muito), sim!

A fase em que vivi o maior stress na minha gravidez foi, sem dúvida, no primeiro trimestre. Aquele tal onde não queremos contar a ninguém ou quase, temos medo de perder o bebé, não sentimos, não o vimos, começamos a ler mil e uma coisas sobre o assunto que até assusta... Enfim, para mim foi stressante e assumo. 

Tudo começou a ganhar mais sentido à partir do momento em que o senti... Lá ia várias vezes à internet procurar informações sobre o momento em que o podia sentir? Como? Quando? ...

Além disso, é impossível ficar passiva o tempo todo. Uma mãe fica ansiosa, questiona-se, pensa tudo e mais alguma coisa. Se é saudável? Se está tudo bem? A questão do parto? A vida depois da gravidez? A mudança das rotinas? Se seremos capazes? Se estamos a fazer algo de errado? Se o que comemos fará mal?... Enfim, uma série de questões que acabam por stressar. Mas à medida que o tempo vai passando, vamos confiando mais no nosso instinto maternal (que existe mesmo)... 

Finalmente, a mudança do nosso corpo, ter um barrigão enorme, que nos impede de fazer tantas coisas. O leite que já começa a sair do peito, embora em pequena quantidade. Até uma simples depilação às virilhas, que não conseguimos fazer porque não vemos! ;) Nem sempre uma mulher grávida se sente sexy, talvez bonita, mas não aquela mulher sexy e fatal. Mas mais uma vez, vamos aprendendo a lidar com isso e a nossa forma de estar e de descontrair, irá permitir levar a gravidez na maior tranquilidade. 

Clique nas seguintes imagens e tenha mais informações sobre estes livros para a gravidez:



Sabemos que nem todas as gravidezes são iguais e umas serão mais complicadas do que outras. No entanto, quando tudo está dentro da normalidade há que descomplicar... Este tem sido o meu rumo ao longo da minha gravidez. 

Não quero ser paranóica, deixar de viver, de fazer certas coisas que já antes fazia... Penso que quanto mais normal levarmos a gravidez, melhor estaremos psicologicamente. 
Por isso, não deixei de viajar ao longo da minha gravidez. Apanhei o avião 3 vezes e posso dizer que aqui no Reino Unido não há prioridades para grávidas, faço a fila igual a toda a gente, mesmo com o peso do bebé na barriga. Não acho que seja correto, mas é assim e há que respeitar as regras de cada país. 

No início da gravidez não existe grandes truques, nem problemas para viajar. Sendo que as viagens que fiz foram sempre dentro da Europa. Para fora da Europa, peça sempre conselho ao seu médico, pois pode implicar alguma vacina. 

Refiro também que algumas companhias pedem um atestado médico, a partir das 27 semanas, de forma a declarar que está tudo ok. Por exemplo, a Ryanair exige mesmo, por isso cuidado, se for com 26 semanas e regressar com 27 pode ficar em terra. 
Viajei também com a Easyjet, esta não pediu atestado, no entanto, preferi jogar pelo seguro e precavi-me com um atestado médico, que me autorizou a viajar. 
As mulheres sem risco na gravidez e de um bebé podem viajar até às 35 semanas. Atenção, faça corretamente as contas para estar de regresso antes dessa semana. 

Para viajar, use roupa e sapatos confortáveis. Atenção para não viajar com muito peso, caso esteja sozinha, embora haja sempre pessoas que a irão ajudar. 

Outra dica também é de despachar a bagagem de mão no porão, evitará assim de andar com essa mala, para trás e para a frente! 

Nota: Não se esqueça de viajar sempre acompanhada com os seus documentos de gravidez, pois nunca sabemos o que pode acontecer. 

Boa viagem! 

Viajar na gravidez

June 5, 2017



Sabemos que nem todas as gravidezes são iguais e umas serão mais complicadas do que outras. No entanto, quando tudo está dentro da normalidade há que descomplicar... Este tem sido o meu rumo ao longo da minha gravidez. 

Não quero ser paranóica, deixar de viver, de fazer certas coisas que já antes fazia... Penso que quanto mais normal levarmos a gravidez, melhor estaremos psicologicamente. 
Por isso, não deixei de viajar ao longo da minha gravidez. Apanhei o avião 3 vezes e posso dizer que aqui no Reino Unido não há prioridades para grávidas, faço a fila igual a toda a gente, mesmo com o peso do bebé na barriga. Não acho que seja correto, mas é assim e há que respeitar as regras de cada país. 

No início da gravidez não existe grandes truques, nem problemas para viajar. Sendo que as viagens que fiz foram sempre dentro da Europa. Para fora da Europa, peça sempre conselho ao seu médico, pois pode implicar alguma vacina. 

Refiro também que algumas companhias pedem um atestado médico, a partir das 27 semanas, de forma a declarar que está tudo ok. Por exemplo, a Ryanair exige mesmo, por isso cuidado, se for com 26 semanas e regressar com 27 pode ficar em terra. 
Viajei também com a Easyjet, esta não pediu atestado, no entanto, preferi jogar pelo seguro e precavi-me com um atestado médico, que me autorizou a viajar. 
As mulheres sem risco na gravidez e de um bebé podem viajar até às 35 semanas. Atenção, faça corretamente as contas para estar de regresso antes dessa semana. 

Para viajar, use roupa e sapatos confortáveis. Atenção para não viajar com muito peso, caso esteja sozinha, embora haja sempre pessoas que a irão ajudar. 

Outra dica também é de despachar a bagagem de mão no porão, evitará assim de andar com essa mala, para trás e para a frente! 

Nota: Não se esqueça de viajar sempre acompanhada com os seus documentos de gravidez, pois nunca sabemos o que pode acontecer. 

Boa viagem! 



Já vou no terceiro trimestre de gravidez, no entanto, nunca é tarde para partilhar convosco a minha experiência do primeiro trimestre. Como o tempo passa a correr...  as memórias ainda estão bem frescas. 

O primeiro trimestre de gravidez conta a partir do primeiro dia, da última menstruação, depois são feitos alguns acertos de dias, na primeira ecografia e termina na décima terceira semana. 
Geralmente, não é muito visível a barriga do primeiro trimestre, nomeadamente, no inverno, com camisolas e casacos disfarce-se bem, já que gostamos de manter em segredo os três primeiros meses. 

Estar grávida, estar diferente física e psicologicamente e não "poder" contar ao mundo, é uma sensação agre e doce. Nada em nós está igual, mas ainda olham para nós como se estivéssemos. 
Alguns mais perspicazes irão perceber, quer pelas idas frequentes à casa de banho ou pela tal cara de grávida (aqui). Mas não foi o meu caso ou quase, um ou duas pessoas, depois de dizer que estava grávida, disseram que tinham percebido pelas minhas fotos de facebook e instagram :D

O meu primeiro trimestre foi também vivido com stress, sou sincera. Além de me ter que habituar ao novo país, tive que me habituar ao sistema de saúde, que é diferente do nosso. Isto é, depois de estar grávida e de informar a maternidade, tive que esperar até às 8 semanas de gravidez para ter uma consulta, onde basicamente foi só preencher papeladas, tirar sangue e medir. 
Apenas às 12 semanas é que fiz a primeira ecografia e pude me confrontar realmente com a gravidez... até lá era um mistério. Ah e esta ecografia no Reino Unido, não é obrigatória, é só se os pais o quiserem. 

A primeira ecografia foi assim mágica... foi mesmo! Uma emoção forte, puder ver um SER dentro de mim, a fazer trinta por uma linha, sem sentir nada ainda é realmente incrível... 

Por outro lado, sabemos que cada gravidez é diferente. No meu caso, por exemplo, não tive nem um enjoo, não tive desejos, mas sim vontade de comer bem... Tinha prazer em comer... Ainda hoje brincam comigo, porque quando a comida me caía bem dizia sempre "soube tãaaaaaoooo bem"!! ;)
Além disso, no primeiro trimestre de gravidez tive um sono louco, uma vontade de dormir incrível. algo de muito pesado e quase incontrolável. Nesses três meses não sofri de insónias! Desde o primeiro trimestre de gravidez tenho também uma maior necessidade em ir à casa de banho e de beber muita água, acordo com sede. 

De resto fiz a minha vida normalmente, mantive uma atividade física (mais moderada) e retirei da minha alimentação alguns alimentos, tal como os queijos frescos, os mariscos e o álcool. Comi à mesma enchidos, saladas, tomates, morangos (lavados com vinagre). Muitos dirão para não comer isto ou aquilo, que fazem assim ou assado, e foi algo que me deixou stressada. De facto, cada médico dirá uma coisa diferente, as pessoas outra e se procurarmos pela internet, acho que deixamos de comer. 

Na minha opinião o primeiro trimestre de gravidez foi o trimestre que me deixou mais nervosa, insegura... Não sentimos o bebé, não sabemos se o que estamos a fazer está bem e isto e aquilo. E mães de primeira viagem ficam tão inseguras com tudo e quanto mais opiniões ouvimos pior. Fui aprendendo a confiar e pôr de lado as opiniões, para viver uma gravidez mais tranquila. Ouço os técnicos de saúde e o meu instinto... 


E grávidas por aí, como sentiram o primeiro trimestre de gravidez?

O meu primeiro trimestre de gravidez

May 12, 2017



Já vou no terceiro trimestre de gravidez, no entanto, nunca é tarde para partilhar convosco a minha experiência do primeiro trimestre. Como o tempo passa a correr...  as memórias ainda estão bem frescas. 

O primeiro trimestre de gravidez conta a partir do primeiro dia, da última menstruação, depois são feitos alguns acertos de dias, na primeira ecografia e termina na décima terceira semana. 
Geralmente, não é muito visível a barriga do primeiro trimestre, nomeadamente, no inverno, com camisolas e casacos disfarce-se bem, já que gostamos de manter em segredo os três primeiros meses. 

Estar grávida, estar diferente física e psicologicamente e não "poder" contar ao mundo, é uma sensação agre e doce. Nada em nós está igual, mas ainda olham para nós como se estivéssemos. 
Alguns mais perspicazes irão perceber, quer pelas idas frequentes à casa de banho ou pela tal cara de grávida (aqui). Mas não foi o meu caso ou quase, um ou duas pessoas, depois de dizer que estava grávida, disseram que tinham percebido pelas minhas fotos de facebook e instagram :D

O meu primeiro trimestre foi também vivido com stress, sou sincera. Além de me ter que habituar ao novo país, tive que me habituar ao sistema de saúde, que é diferente do nosso. Isto é, depois de estar grávida e de informar a maternidade, tive que esperar até às 8 semanas de gravidez para ter uma consulta, onde basicamente foi só preencher papeladas, tirar sangue e medir. 
Apenas às 12 semanas é que fiz a primeira ecografia e pude me confrontar realmente com a gravidez... até lá era um mistério. Ah e esta ecografia no Reino Unido, não é obrigatória, é só se os pais o quiserem. 

A primeira ecografia foi assim mágica... foi mesmo! Uma emoção forte, puder ver um SER dentro de mim, a fazer trinta por uma linha, sem sentir nada ainda é realmente incrível... 

Por outro lado, sabemos que cada gravidez é diferente. No meu caso, por exemplo, não tive nem um enjoo, não tive desejos, mas sim vontade de comer bem... Tinha prazer em comer... Ainda hoje brincam comigo, porque quando a comida me caía bem dizia sempre "soube tãaaaaaoooo bem"!! ;)
Além disso, no primeiro trimestre de gravidez tive um sono louco, uma vontade de dormir incrível. algo de muito pesado e quase incontrolável. Nesses três meses não sofri de insónias! Desde o primeiro trimestre de gravidez tenho também uma maior necessidade em ir à casa de banho e de beber muita água, acordo com sede. 

De resto fiz a minha vida normalmente, mantive uma atividade física (mais moderada) e retirei da minha alimentação alguns alimentos, tal como os queijos frescos, os mariscos e o álcool. Comi à mesma enchidos, saladas, tomates, morangos (lavados com vinagre). Muitos dirão para não comer isto ou aquilo, que fazem assim ou assado, e foi algo que me deixou stressada. De facto, cada médico dirá uma coisa diferente, as pessoas outra e se procurarmos pela internet, acho que deixamos de comer. 

Na minha opinião o primeiro trimestre de gravidez foi o trimestre que me deixou mais nervosa, insegura... Não sentimos o bebé, não sabemos se o que estamos a fazer está bem e isto e aquilo. E mães de primeira viagem ficam tão inseguras com tudo e quanto mais opiniões ouvimos pior. Fui aprendendo a confiar e pôr de lado as opiniões, para viver uma gravidez mais tranquila. Ouço os técnicos de saúde e o meu instinto... 


E grávidas por aí, como sentiram o primeiro trimestre de gravidez?



Ando ausente. Eu sei. Tenho andado a mil. Depois de uma semana de férias a Portugal, andamos a mudar de casa, mais o trabalho que tenho que cumprir, nem sempre me sobra tempo para vir cá postar. 

Durante a minha estadia a Portugal fomos a um casamento, no Algarve, de uma grande amiga minha. Não fosse ela especial, não teria feito tantos quilómetros, não é verdade? 
O casamento foi lindo e repleto de muito amor...

E o meu look escolhido foi este, simples, mas adequado ao momento e à cerimónia de final de tarde.


Eu que vivi 12 anos no Algarve, sinto-me uma autêntica estrangeira, em pleno mês de Abril tinha calor, nem collants, nem casacos, nem nada! E isso pela noite adentro :D Comparado com as temperaturas que temos tido aqui no Reino Unido, o Algarve são as Bahamas!!



Look: 
- vestido Asos Maternity (SS'17)
- Sapatos Mango (old) 
(aguentei este sapato alto umas boas horas!! Nem eu acredito!!)
- Colares (Stradivarius)

Look de grávida para casamento

May 4, 2017




Ando ausente. Eu sei. Tenho andado a mil. Depois de uma semana de férias a Portugal, andamos a mudar de casa, mais o trabalho que tenho que cumprir, nem sempre me sobra tempo para vir cá postar. 

Durante a minha estadia a Portugal fomos a um casamento, no Algarve, de uma grande amiga minha. Não fosse ela especial, não teria feito tantos quilómetros, não é verdade? 
O casamento foi lindo e repleto de muito amor...

E o meu look escolhido foi este, simples, mas adequado ao momento e à cerimónia de final de tarde.


Eu que vivi 12 anos no Algarve, sinto-me uma autêntica estrangeira, em pleno mês de Abril tinha calor, nem collants, nem casacos, nem nada! E isso pela noite adentro :D Comparado com as temperaturas que temos tido aqui no Reino Unido, o Algarve são as Bahamas!!



Look: 
- vestido Asos Maternity (SS'17)
- Sapatos Mango (old) 
(aguentei este sapato alto umas boas horas!! Nem eu acredito!!)
- Colares (Stradivarius)




Ao tempo que as tenho e só agora é que as retirei da caixa, para irem de férias e para passearem mo bem bom. 
Foi uma prenda de aniversário, que desejava a alguns meses, bem antes de ver toda a gente a falar delas. Mas como não deu para comprá-las imediatamente, acabei por esperar e adquiri-las quando já andavam na boca do mundo. 

Foi difícil encontrá-las, andavam esgotadas por todo o lado. Consegui-as através de um site alemão, provavelmente para eu matar a saudade, do meu antigo país!! ;)


Nesta altura da minha gravidez, só tenho usado sapatilhas, em janeiro sofri imenso de dores ciáticas e prefiro não andar muito em cima de saltos. Como tal, não há melhor desculpa para andar o tempo todo de sapatilhas!!

Adoro estas Puma Basket, nas mais diversas cores, mas não resisti ao modelo básico: as brancas brilhantes. 
O que mais gosto nestas sapatilhas são estes atacadores acetinados e bem largões. Fica tão giro e diferente. Vieram também outros atacadores brancos, mais básicos. Dá para ir trocando. 

As minhas Puma Basket

April 19, 2017




Ao tempo que as tenho e só agora é que as retirei da caixa, para irem de férias e para passearem mo bem bom. 
Foi uma prenda de aniversário, que desejava a alguns meses, bem antes de ver toda a gente a falar delas. Mas como não deu para comprá-las imediatamente, acabei por esperar e adquiri-las quando já andavam na boca do mundo. 

Foi difícil encontrá-las, andavam esgotadas por todo o lado. Consegui-as através de um site alemão, provavelmente para eu matar a saudade, do meu antigo país!! ;)


Nesta altura da minha gravidez, só tenho usado sapatilhas, em janeiro sofri imenso de dores ciáticas e prefiro não andar muito em cima de saltos. Como tal, não há melhor desculpa para andar o tempo todo de sapatilhas!!

Adoro estas Puma Basket, nas mais diversas cores, mas não resisti ao modelo básico: as brancas brilhantes. 
O que mais gosto nestas sapatilhas são estes atacadores acetinados e bem largões. Fica tão giro e diferente. Vieram também outros atacadores brancos, mais básicos. Dá para ir trocando. 




Este ano tenho um ovinho da Páscoa bem especial... Um tesouro único, que cresce a cada dia, como o amor que sinto por ele... Sonho com ele, sonho comigo grávida... Este bebé já faz parte da minha vida... da nossa vida. 

São 27 semanas. Esta é a melhor fase da gravidez, onde posso senti-lo e vê-lo mexer... Quero saborear cada momento, em que ele é só MEU!!

Desejamos-vos uma Feliz Páscoa!!



O meu ovinho da Páscoa

April 16, 2017




Este ano tenho um ovinho da Páscoa bem especial... Um tesouro único, que cresce a cada dia, como o amor que sinto por ele... Sonho com ele, sonho comigo grávida... Este bebé já faz parte da minha vida... da nossa vida. 

São 27 semanas. Esta é a melhor fase da gravidez, onde posso senti-lo e vê-lo mexer... Quero saborear cada momento, em que ele é só MEU!!

Desejamos-vos uma Feliz Páscoa!!





Em Novembro de 2016 começou a maior e mais importante viagem da minha vida... Soube que estava grávida. Todo um mundo novo começou, no meio da felicidade, um misto de emoções, que é preciso saber gerir.

Procuram-se imensas informações aqui e acolá, mas com o tempo uii tentando gerir e acalmar, para não entrar em loucuras. 

No meio de muita pesquisa para preparar o meu corpo a transformar-se, escolhi estes 3 aliados para  a barriga, as ancas, o peito e as nádegas.

Muitas usarão outros produtos como o óleo de amêndoa e outros cremes gordos. Mas aqui no Reino Unido não tenho acesso a certas marcas portuguesas e por isso faço com o que há, e já é muito bom!

# Bio-oil
Já perdi a conta das embalagens de Bio-oil que já comprei e cada vez gasto mais, tendo em conta o tamanho da barriga. Aproveito sempre que ele esteja em promoção para me abastecer. Sem dúvida que, tem sido o meu produto de eleição, sou sincera neste momento já estou enjoada do cheiro, mas paciência, desde que a minha pele fique bem, está tudo ótimo. Espalho-o em todas as zonas que estão a crescer: peito, barriga, nádegas, ancas...
Uso-o à noite depois do duche e enfio logo o pijama. Usar este óleo de manhã mancharia a roupa e ficar-se-ia demasiada oleosa. 

#Clarins
A minha irmã usou-o na gravidez dela e sei que ela gostou, como tal tinha que o ter comigo. Este creme da Clarins, Soin Complet Special Vergetures é maravilhoso. Não tem cheiro, é bastante hidratante, não cola... Enfim, é perfeito para ser posto na pele, de manhã, por exemplo. 
Confesso que, nesta altura coloco os dois à noite, tanto este da Clarins, com o Bio-oil. Uma mistura para hidratar ao máximo a minha pele, que sinto a esticar à grande!!

#Lush
Este condicionar corporal da Lush é muito, muito hidrante. Ao contrário dos outros dois produtos, coloco-o no duche, mesmo no final. Passo-me por água, para retirar o excesso e a pele fica super suave, criando uma camada de hidratação. Não o uso todos os dias, mas algumas vezes por semana.

Há outros produtos que estou tentada em conhecer, nomeadamente o Velastisa, que tenho ouvido maravilhas. Talvez no próximo mês o adquira, porque preciso de muuuuito produto. Nunca gastei tanto creme na minha vida!! :D


E vocês, conhecem algum produto milagroso contra estrias na gravidez?


Clique na imagem para aceder ao produto

Os meus produtos de gravidez

April 14, 2017



Em Novembro de 2016 começou a maior e mais importante viagem da minha vida... Soube que estava grávida. Todo um mundo novo começou, no meio da felicidade, um misto de emoções, que é preciso saber gerir.

Procuram-se imensas informações aqui e acolá, mas com o tempo uii tentando gerir e acalmar, para não entrar em loucuras. 

No meio de muita pesquisa para preparar o meu corpo a transformar-se, escolhi estes 3 aliados para  a barriga, as ancas, o peito e as nádegas.

Muitas usarão outros produtos como o óleo de amêndoa e outros cremes gordos. Mas aqui no Reino Unido não tenho acesso a certas marcas portuguesas e por isso faço com o que há, e já é muito bom!

# Bio-oil
Já perdi a conta das embalagens de Bio-oil que já comprei e cada vez gasto mais, tendo em conta o tamanho da barriga. Aproveito sempre que ele esteja em promoção para me abastecer. Sem dúvida que, tem sido o meu produto de eleição, sou sincera neste momento já estou enjoada do cheiro, mas paciência, desde que a minha pele fique bem, está tudo ótimo. Espalho-o em todas as zonas que estão a crescer: peito, barriga, nádegas, ancas...
Uso-o à noite depois do duche e enfio logo o pijama. Usar este óleo de manhã mancharia a roupa e ficar-se-ia demasiada oleosa. 

#Clarins
A minha irmã usou-o na gravidez dela e sei que ela gostou, como tal tinha que o ter comigo. Este creme da Clarins, Soin Complet Special Vergetures é maravilhoso. Não tem cheiro, é bastante hidratante, não cola... Enfim, é perfeito para ser posto na pele, de manhã, por exemplo. 
Confesso que, nesta altura coloco os dois à noite, tanto este da Clarins, com o Bio-oil. Uma mistura para hidratar ao máximo a minha pele, que sinto a esticar à grande!!

#Lush
Este condicionar corporal da Lush é muito, muito hidrante. Ao contrário dos outros dois produtos, coloco-o no duche, mesmo no final. Passo-me por água, para retirar o excesso e a pele fica super suave, criando uma camada de hidratação. Não o uso todos os dias, mas algumas vezes por semana.

Há outros produtos que estou tentada em conhecer, nomeadamente o Velastisa, que tenho ouvido maravilhas. Talvez no próximo mês o adquira, porque preciso de muuuuito produto. Nunca gastei tanto creme na minha vida!! :D


E vocês, conhecem algum produto milagroso contra estrias na gravidez?


Clique na imagem para aceder ao produto


Um vestido às bolinhas para dar as boas-vindas a esta primavera! Soube pela vida este bom tempo no fim de semana. É claro que, 20º graus num país nórdico é a loucura total e é uma desculpa para muitos porem a perninha de fora, mas eu gosto de me "despir" do inverno aos pouquinhos.  Por isso, ainda guardo os meus collants e um vestido de manga comprida. 

Este vestido é da Zara, tamanho S, já o tinha comprado no outono (antes de estar grávida), serve-me mas fica um pouco curto à frente. A culpa é da barriga :D.

Já vos disse que Bath é uma cidade linda? ;)









Mommy look - Às bolinhas

April 10, 2017



Um vestido às bolinhas para dar as boas-vindas a esta primavera! Soube pela vida este bom tempo no fim de semana. É claro que, 20º graus num país nórdico é a loucura total e é uma desculpa para muitos porem a perninha de fora, mas eu gosto de me "despir" do inverno aos pouquinhos.  Por isso, ainda guardo os meus collants e um vestido de manga comprida. 

Este vestido é da Zara, tamanho S, já o tinha comprado no outono (antes de estar grávida), serve-me mas fica um pouco curto à frente. A culpa é da barriga :D.

Já vos disse que Bath é uma cidade linda? ;)










weeding mood



A época festiva de casamentos e batizados já começou. Muito em breve terei um casamento, por exemplo. É claro que não será este o mood pela minha condição física. :P No entanto, não deixo de pensar em que não está grávida e precisa de umas ideias para aprumar-se e ficar bela!

Criei um look romântico, delicado e bem sofisticado. Claro que os acessórios podem ser alterados, de modo a obter um visual mais simples, se assim o desejar.



Não há dúvidas que este vestido da H&M é ma-ra-vi-lho-so. Adapta-se a casamentos e não só... Pode ser perfeitamente usado, depois no dia-a-dia, basta só optar por um sapato mais cool e uma mala mais simples. Esta cor verde água encanta qualquer uma, não é verdade?

Para mais sugestões de acessórios, clique nas imagens abaixo:

Weeding mood - Opção romântica

April 7, 2017


weeding mood



A época festiva de casamentos e batizados já começou. Muito em breve terei um casamento, por exemplo. É claro que não será este o mood pela minha condição física. :P No entanto, não deixo de pensar em que não está grávida e precisa de umas ideias para aprumar-se e ficar bela!

Criei um look romântico, delicado e bem sofisticado. Claro que os acessórios podem ser alterados, de modo a obter um visual mais simples, se assim o desejar.



Não há dúvidas que este vestido da H&M é ma-ra-vi-lho-so. Adapta-se a casamentos e não só... Pode ser perfeitamente usado, depois no dia-a-dia, basta só optar por um sapato mais cool e uma mala mais simples. Esta cor verde água encanta qualquer uma, não é verdade?

Para mais sugestões de acessórios, clique nas imagens abaixo:

Ainda não tenho nada pronto e não irei tão cedo, quer dizer de imediato. Vai ficar tudo para a última da hora, mas não temos outro remédio. Mais tarde explicarei porquê.

Mas quando for para montar e comprar sei exatamente com projetar o ninho do meu bebé. Já tenho tudo bem pensado na minha cabeça e ando a algum tempo à procura de inspirações, sempre que posso, ao serão. 
E para isso, nada melhor do que uma pesquisa pelo Pinterest ou pelo Instagram para ficar tirar ideias. 

O estilo do quarto define-se nas linhas escandinavas, um estilo nórdico, que aprecio imenso e que tenho usado para vários detalhes decorativos da minha casa. Nada de estilo clássico, onde predomina o branco e o azul, os folhos e estas coisas todas. Quero mais simples, mais atual, mais ao meu gosto e  ao meu estilo de vida.

A cor principal é, sem dúvida, o branco. Esta será conjugada com apontamentos cinzentos principalmente. Poderei mesclar alguns detalhes azuis ou pretos. Embora o preto era uma cor "não" para os bebés, hoje em dia, está a dar volta à questão e entra em alta na decoração de vestuários para crianças. Pessoalmente eu gosto. 

Quero que o quarto seja luminoso, leve e simples. O item que me faz perder a cabeça, mas que não irei comprar dado o valor é o berço Sebra, que custa por volta de 900€. Está fora de questão, uma vez que há muitas mais coisas para comprar para o quarto e não só (carrinho, roupas, acessórios, produtos de higiene...). 

Enfim, deixo-vos estas inspirações que mostram muito bem, o quarto que tentarei projetar ao meu baby boy






Inspirações de quarto para o meu bebé (estilo escandinavo)

April 5, 2017


Ainda não tenho nada pronto e não irei tão cedo, quer dizer de imediato. Vai ficar tudo para a última da hora, mas não temos outro remédio. Mais tarde explicarei porquê.

Mas quando for para montar e comprar sei exatamente com projetar o ninho do meu bebé. Já tenho tudo bem pensado na minha cabeça e ando a algum tempo à procura de inspirações, sempre que posso, ao serão. 
E para isso, nada melhor do que uma pesquisa pelo Pinterest ou pelo Instagram para ficar tirar ideias. 

O estilo do quarto define-se nas linhas escandinavas, um estilo nórdico, que aprecio imenso e que tenho usado para vários detalhes decorativos da minha casa. Nada de estilo clássico, onde predomina o branco e o azul, os folhos e estas coisas todas. Quero mais simples, mais atual, mais ao meu gosto e  ao meu estilo de vida.

A cor principal é, sem dúvida, o branco. Esta será conjugada com apontamentos cinzentos principalmente. Poderei mesclar alguns detalhes azuis ou pretos. Embora o preto era uma cor "não" para os bebés, hoje em dia, está a dar volta à questão e entra em alta na decoração de vestuários para crianças. Pessoalmente eu gosto. 

Quero que o quarto seja luminoso, leve e simples. O item que me faz perder a cabeça, mas que não irei comprar dado o valor é o berço Sebra, que custa por volta de 900€. Está fora de questão, uma vez que há muitas mais coisas para comprar para o quarto e não só (carrinho, roupas, acessórios, produtos de higiene...). 

Enfim, deixo-vos estas inspirações que mostram muito bem, o quarto que tentarei projetar ao meu baby boy







 O TEMPO VOAAAAAAA!!! E falta taaaantooo para fazer!!! omg :/ 




Já não vinha há muito por aqui partilhar convosco um dos meus looks de grávida. Mas quem me segue pelo Instagram (aqui), poderá encontrar muito mais fotos minhas e em tempo real. 

O tempo por Bath tem estado bom!! Aleluia!! Temos um pouco de sol, que sabe a um paraíso tropical. O meu look no último fim de semana, foi bastante casual e confortável. Jeans mommy, camisola e sapatilhas. Nesta fase o conforto é a palavra-chave e não dispenso das minhas sapatilhas, para evitar as dores lombares, que tive há um mês e que foram muito desagradáveis. 

Já vou na vigésima quinta semana da gravidez, o menino tem estado ativo e a fazer de mim uma verdadeira baleia... :( :( Nada a fazer, o que conta é que ele esteja bem e a engordar também. Sabemos que cada gravidez é diferente e que cada mulher também. Ter menos ou mais barriga nada diz. 


Look: Calças Asos Maternity '17 | Camisola Trafaluc Zara'17 | Sapatilhas Gazelle Adidas | Mala Furla | Meias rendadas Calzedonia (old)








Mommy look #3 (25 weeks)

April 4, 2017


 O TEMPO VOAAAAAAA!!! E falta taaaantooo para fazer!!! omg :/ 




Já não vinha há muito por aqui partilhar convosco um dos meus looks de grávida. Mas quem me segue pelo Instagram (aqui), poderá encontrar muito mais fotos minhas e em tempo real. 

O tempo por Bath tem estado bom!! Aleluia!! Temos um pouco de sol, que sabe a um paraíso tropical. O meu look no último fim de semana, foi bastante casual e confortável. Jeans mommy, camisola e sapatilhas. Nesta fase o conforto é a palavra-chave e não dispenso das minhas sapatilhas, para evitar as dores lombares, que tive há um mês e que foram muito desagradáveis. 

Já vou na vigésima quinta semana da gravidez, o menino tem estado ativo e a fazer de mim uma verdadeira baleia... :( :( Nada a fazer, o que conta é que ele esteja bem e a engordar também. Sabemos que cada gravidez é diferente e que cada mulher também. Ter menos ou mais barriga nada diz. 


Look: Calças Asos Maternity '17 | Camisola Trafaluc Zara'17 | Sapatilhas Gazelle Adidas | Mala Furla | Meias rendadas Calzedonia (old)









Nunca fui muito de escrever diários na minha adolescência. Gostava de os ver e até de os ter, mas não conseguia manter uma escrita regular. 

Porém, para eventos especiais e únicos não prescindo deles. Já para o meu casamento adquiri um lindo de morrer, que também serviu de guia. 
E agora para a gravidez tinha que ter também um, para escrever aquilo que nunca quero esquecer... Há pormenores que sabemos que acabam por nos passar ao longo do tempo e são estes que vou escrever, para que o meu bebé possa ter acesso a todas as informações, desde que soubemos que ele existe nas nossas vidas. 

Fiz uma breve pesquisa de diários e aquele que mais gostei, tanto ao nível do packing como da simplicidade, foi este do Mr. Wonderful (não patrocinado). Custou-me por volta de 30€, com portes, uma vez que para o UK, o transporte fica mais caro. Já o tenho há dois meses e ainda não escrevi nele, queria antes partilhá-lo convosco. 

Conheciam? Creio que seja uma bela oferta para uma amiga grávida, por exemplo. 







O diário da gravidez para sempre recordar

March 31, 2017


Nunca fui muito de escrever diários na minha adolescência. Gostava de os ver e até de os ter, mas não conseguia manter uma escrita regular. 

Porém, para eventos especiais e únicos não prescindo deles. Já para o meu casamento adquiri um lindo de morrer, que também serviu de guia. 
E agora para a gravidez tinha que ter também um, para escrever aquilo que nunca quero esquecer... Há pormenores que sabemos que acabam por nos passar ao longo do tempo e são estes que vou escrever, para que o meu bebé possa ter acesso a todas as informações, desde que soubemos que ele existe nas nossas vidas. 

Fiz uma breve pesquisa de diários e aquele que mais gostei, tanto ao nível do packing como da simplicidade, foi este do Mr. Wonderful (não patrocinado). Custou-me por volta de 30€, com portes, uma vez que para o UK, o transporte fica mais caro. Já o tenho há dois meses e ainda não escrevi nele, queria antes partilhá-lo convosco. 

Conheciam? Creio que seja uma bela oferta para uma amiga grávida, por exemplo. 








um MENINO!!!!

It's a boy. It's a little boy... Tal como nos foi dito, na última ecografia.




E pronto vou ser mamã de um menino!!!!! Meu bebezinho

Se muitos pensavam que iria ter uma menina e se mesmo eu nos inícios, dos inícios também o pensava, venho desmentir a ideia. 
Na primeira ecografia que fizemos, o bebé mexia-se tanto, mas tanto... que pensámos logo, que só poderia vir daí um menino! E assim foi. Mesmo que estejamos à espera, é sempre muito emocionante ouvir o que aí vem. Enche o coração!!! Fico sempre com saudades das ecografias, ficava ali horas a vê-lo (tirando a parte de ter a bexiga cheia, porque devemos ingerir 1,5 /2 litros de água). 

É curioso, mas na Inglaterra, gostam muito da surpresa e aguardam o dia do parto, para saber (à moda antiga). Eu não era capaz... 



Agora é pensar à sério na vinda deste bebé, que o tempo passa a voar. Nome, quarto, roupas, etc. 

Mas, vou vos ser sincera, a partir de agora, a gravidez ganha muito mais sentido... Porque o sinto, porque sei o que aí vem... No início, ficava muito angustiada, porque não o sentia, a barriga não se notava. O segundo trimestre é muito mais interessante... ;) 

Já sabemos o sexo do bebé! É...

March 17, 2017


um MENINO!!!!

It's a boy. It's a little boy... Tal como nos foi dito, na última ecografia.




E pronto vou ser mamã de um menino!!!!! Meu bebezinho

Se muitos pensavam que iria ter uma menina e se mesmo eu nos inícios, dos inícios também o pensava, venho desmentir a ideia. 
Na primeira ecografia que fizemos, o bebé mexia-se tanto, mas tanto... que pensámos logo, que só poderia vir daí um menino! E assim foi. Mesmo que estejamos à espera, é sempre muito emocionante ouvir o que aí vem. Enche o coração!!! Fico sempre com saudades das ecografias, ficava ali horas a vê-lo (tirando a parte de ter a bexiga cheia, porque devemos ingerir 1,5 /2 litros de água). 

É curioso, mas na Inglaterra, gostam muito da surpresa e aguardam o dia do parto, para saber (à moda antiga). Eu não era capaz... 



Agora é pensar à sério na vinda deste bebé, que o tempo passa a voar. Nome, quarto, roupas, etc. 

Mas, vou vos ser sincera, a partir de agora, a gravidez ganha muito mais sentido... Porque o sinto, porque sei o que aí vem... No início, ficava muito angustiada, porque não o sentia, a barriga não se notava. O segundo trimestre é muito mais interessante... ;) 

Se pensava que a saia plissada, estava com os dias contados, venho hoje dizer-vos que ela continua em alta no mundo da moda. E pode encontrá-la nas mais variadas lojas, cores e feitios.

São vários as mulheres que continuam a adoptá-la, mesmo aquelas que lhe torciam o nariz, acabaram por ceder ao estilo dessa saia. É uma delas? 

É bastante versátil, tanto dá um ar descontraído, como sofisticado. Tudo depende da forma como a conjugarmos. Se for com sapatilhas ou estiletos, se for com camisola oversized ou biker.
Enfim, uma saia dá para vários looks e várias ocasiões, é só abanar a sua varinha mágica et voilá!

Ficam aqui umas inspirações e uns modelos de saia plissada, que pode comprar. Ora clique, em cada imagem e descubra se é este o seu modelo preferido!

Trend Alert: a saia plissada

March 6, 2017


Se pensava que a saia plissada, estava com os dias contados, venho hoje dizer-vos que ela continua em alta no mundo da moda. E pode encontrá-la nas mais variadas lojas, cores e feitios.

São vários as mulheres que continuam a adoptá-la, mesmo aquelas que lhe torciam o nariz, acabaram por ceder ao estilo dessa saia. É uma delas? 

É bastante versátil, tanto dá um ar descontraído, como sofisticado. Tudo depende da forma como a conjugarmos. Se for com sapatilhas ou estiletos, se for com camisola oversized ou biker.
Enfim, uma saia dá para vários looks e várias ocasiões, é só abanar a sua varinha mágica et voilá!

Ficam aqui umas inspirações e uns modelos de saia plissada, que pode comprar. Ora clique, em cada imagem e descubra se é este o seu modelo preferido!



Eu sou uma pessoa que tem muitas vezes herpes labiais, o que se torna mesmo insuportável. É algo que me tem acontecido desde que saí de Portugal, associado provavelmente ao stress e quando fico adoentada. 

Quando fiquei grávida, fiquei logo com uma bela constipação, o que me originou logo um herpes labial. Um stress porque quando estamos grávidas devemos ter cuidado com aquilo que colocamos no nosso corpo. Por isso, o zovirax que costumo aplicar estava fora de questão. Neste caso, procurei na net e encontrei um truque, que achei tão milagroso, que tinha de o partilhar convosco, até porque pode ser uma excelente alternativa aos cremes, mesmo quando não estamos grávidas. 

A verdade é que nem chegou a desenvolver ou a criar marca. Mal senti aquele calor no lábio, coloquei um cubo de gelo por cima, repeti o caso várias vezes ao dia, umas 3 ou 4 vezes. Garanto-vos que não desenvolveu e passou assim. No dia seguinte, repeti, embora não tivesse nada, mas foi para prevenir. Nunca tive um herpes labial a curar tão rapidamente, hehe!!

À noite coloquei Bepanthene, um creme que uso para tudo.  

Conheciam esse truque ou têm outro?



Como tratar um herpes labial na gravidez e não só?

March 3, 2017



Eu sou uma pessoa que tem muitas vezes herpes labiais, o que se torna mesmo insuportável. É algo que me tem acontecido desde que saí de Portugal, associado provavelmente ao stress e quando fico adoentada. 

Quando fiquei grávida, fiquei logo com uma bela constipação, o que me originou logo um herpes labial. Um stress porque quando estamos grávidas devemos ter cuidado com aquilo que colocamos no nosso corpo. Por isso, o zovirax que costumo aplicar estava fora de questão. Neste caso, procurei na net e encontrei um truque, que achei tão milagroso, que tinha de o partilhar convosco, até porque pode ser uma excelente alternativa aos cremes, mesmo quando não estamos grávidas. 

A verdade é que nem chegou a desenvolver ou a criar marca. Mal senti aquele calor no lábio, coloquei um cubo de gelo por cima, repeti o caso várias vezes ao dia, umas 3 ou 4 vezes. Garanto-vos que não desenvolveu e passou assim. No dia seguinte, repeti, embora não tivesse nada, mas foi para prevenir. Nunca tive um herpes labial a curar tão rapidamente, hehe!!

À noite coloquei Bepanthene, um creme que uso para tudo.  

Conheciam esse truque ou têm outro?






Já sabem, por aqui vou partilhando as minhas experiências de vida e a gravidez é uma delas. Como tal, creio que faz sentido falar-vos um pouco sobre este processo de engravidar, pelo menos a minha vivência. 


Tenho agora 33 anos. Engravidei aos 32. Não me considero lá muito velha, mas na perspetiva de muita gente, a questão de engravidar vem sempre à baila, quando mais se avança na idade. Ao ponto de verem uma barriga imaginária, lá por uma pessoa ter a menstruação ou ter comido um bom cozido à portuguesa!

Casei há mais de dois anos e vivo com o meu marido há muito mais. Como tal, na visão das pessoas, uma coisa leva à outra. Casamento = gravidez. Mas não... para mim não! Nunca foi assim. Claro que a ideia de construir uma família era algo que tencionava, mas sabia que o momento "certo" chegaria um dia. 
Confesso, frustrava-me ter de ouvir (muuuitas vezes) para quando é que era? Se estava grávida? Se queria ter filhos?... Entre outras questões, que ao meu ver só dizem respeito à mulher e consequentemente ao casal. Pensava muitas vezes, que se na hora de tentar, não conseguíssemos, como me iria sentir perante tantas questões, que no fundo só atormentam mais ainda uma pessoa. 

A nossa vida tem sido muito atribulada, com muitas mudanças entre Portugal, Alemanha e Reino Unido... Procurava-se a tal estabilidade tanto pessoal, como financeira. Mas confesso que se for por aí, nunca mais seria... Há um período que pode ser mais confortável, mas a tal perfeição de vida que se espera, nunca chega. Como tal por aí, não valia esperar mais... 

Viajámos muito. Aproveitámos muito um do outro. Fizemos aquilo que queríamos fazer... Prontos para assumir uma nova fase... Diferente, mas acredito que será muito mais completa e preenchida. Na qual também iremos viajar, aproveitar um do outro e fazer mil e uma coisas... mas de forma diferente. 

Talvez houvesse, antes, um certo receio em deixar entrar alguém, mas creio que seja normal de um casal que está junto há mais de 10 anos.

A gravidez foi planeada e houve uma consulta pré-gravidez. Algo que recomendo a todas as mulheres que queiram engravidar. É extremamente importante averiguar se está realmente tudo bem, através de exames de sangue e ecografias, bem como outros exames que o seu ginecologista/obstetra considerará necessários. Uma vez que estava a planear a gravidez foi-me receitado ácido fólico para tomar logo, bem como uns compridos à base de plantas (Agnolyt, comprei na Alemanha e custaram-me 45€, lembro-me bem de ficar parva com o preço). Estes compridos eram para ser tomados durante três meses e logo que engravidasse, deixava de os tomar. A minha médica (na Alemanha, na altura) também referiu que a pausa da pílula é um mito. 

Outro conselho que vos posso dar é manterem-se tranquilos, enquanto casal, não estarem sempre a pensar no assunto e stressar porque dessa vez não resultou. Quando mais calma e relaxada, a mulher estiver melhor será. 
Lembro-me de ter uma colega na Universidade, que estava a tirar o meu curso, que era para ela o segundo curso, porque o médico recomendou que ela fizesse algo para abstrair a mente... A verdade é que resultou... Ao longo do curso teve dois bebés ;)

E quando se descobre que se está grávida... é uma misto de emoções (veja aqui as minhas)!

Planear uma gravidez

February 24, 2017




Já sabem, por aqui vou partilhando as minhas experiências de vida e a gravidez é uma delas. Como tal, creio que faz sentido falar-vos um pouco sobre este processo de engravidar, pelo menos a minha vivência. 


Tenho agora 33 anos. Engravidei aos 32. Não me considero lá muito velha, mas na perspetiva de muita gente, a questão de engravidar vem sempre à baila, quando mais se avança na idade. Ao ponto de verem uma barriga imaginária, lá por uma pessoa ter a menstruação ou ter comido um bom cozido à portuguesa!

Casei há mais de dois anos e vivo com o meu marido há muito mais. Como tal, na visão das pessoas, uma coisa leva à outra. Casamento = gravidez. Mas não... para mim não! Nunca foi assim. Claro que a ideia de construir uma família era algo que tencionava, mas sabia que o momento "certo" chegaria um dia. 
Confesso, frustrava-me ter de ouvir (muuuitas vezes) para quando é que era? Se estava grávida? Se queria ter filhos?... Entre outras questões, que ao meu ver só dizem respeito à mulher e consequentemente ao casal. Pensava muitas vezes, que se na hora de tentar, não conseguíssemos, como me iria sentir perante tantas questões, que no fundo só atormentam mais ainda uma pessoa. 

A nossa vida tem sido muito atribulada, com muitas mudanças entre Portugal, Alemanha e Reino Unido... Procurava-se a tal estabilidade tanto pessoal, como financeira. Mas confesso que se for por aí, nunca mais seria... Há um período que pode ser mais confortável, mas a tal perfeição de vida que se espera, nunca chega. Como tal por aí, não valia esperar mais... 

Viajámos muito. Aproveitámos muito um do outro. Fizemos aquilo que queríamos fazer... Prontos para assumir uma nova fase... Diferente, mas acredito que será muito mais completa e preenchida. Na qual também iremos viajar, aproveitar um do outro e fazer mil e uma coisas... mas de forma diferente. 

Talvez houvesse, antes, um certo receio em deixar entrar alguém, mas creio que seja normal de um casal que está junto há mais de 10 anos.

A gravidez foi planeada e houve uma consulta pré-gravidez. Algo que recomendo a todas as mulheres que queiram engravidar. É extremamente importante averiguar se está realmente tudo bem, através de exames de sangue e ecografias, bem como outros exames que o seu ginecologista/obstetra considerará necessários. Uma vez que estava a planear a gravidez foi-me receitado ácido fólico para tomar logo, bem como uns compridos à base de plantas (Agnolyt, comprei na Alemanha e custaram-me 45€, lembro-me bem de ficar parva com o preço). Estes compridos eram para ser tomados durante três meses e logo que engravidasse, deixava de os tomar. A minha médica (na Alemanha, na altura) também referiu que a pausa da pílula é um mito. 

Outro conselho que vos posso dar é manterem-se tranquilos, enquanto casal, não estarem sempre a pensar no assunto e stressar porque dessa vez não resultou. Quando mais calma e relaxada, a mulher estiver melhor será. 
Lembro-me de ter uma colega na Universidade, que estava a tirar o meu curso, que era para ela o segundo curso, porque o médico recomendou que ela fizesse algo para abstrair a mente... A verdade é que resultou... Ao longo do curso teve dois bebés ;)

E quando se descobre que se está grávida... é uma misto de emoções (veja aqui as minhas)!

Latest Instagrams

© Cosmopolit Girl. Design by Fearne.